Secec republica FAC Visual Periférico e inclui produção de longa-metragem – SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA E ECONOMIA CRIATIVA

0
2

Texto: Sâmea Andrade/Edição: Sérgio Maggio (Ascom/Secec)

08/10/2020

10:27:03

 

Após ouvir contribuições do setor audiovisual do Distrito Federal, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) republicou o edital FAC Visual Periférico. Os principais apontamentos da classe foram acatados, abrindo uma linha para produção no valor de R$ 990 mil para longa-metragem independente inédito de ficção, documentário ou animação, com destinação e exibição inicial no mercado de salas de cinema e finalização em sistema digital de alta definição. É necessário que, no mínimo, 50% dos atores ou técnicos nos cargos principais da produção residam no DF.

 

“Os ajustes, quando são necessários, devem ser considerados, avaliados e desde que contribuam para permitir uma maior participação do público, podem ser feitos com toda naturalidade. Se não atingimos o formato ideal, com certeza chegamos bem próximos disso, o que é um avanço”, aponta o secretário de Cultura e Economia Criativa do DF, Bartolomeu Rodrigues.

 

Confira o edital republicado nesta quinta-feira (08.10) no no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

Edital FAC Visual Periférico republicado

 

Acesse o anexo com as novas linhas

Anexo I – Detalhamento das Linhas de Apoio – Visual periférico republicado

 

Com a republicação, o edital vai contemplar, ao menos, 90 projetos com recursos de R$ 9.040.000,00, percorrendo 14 linhas da cadeia produtiva do audiovisual. Em razão dos ajustes realizados, todas as propostas inscritas até o dia 8 de outubro de 2020 serão desconsideradas, o que torna necessário nova inscrição do projeto. O novo prazo tem início nesta sexta-feira (09.10), e vai até as 18 horas do dia 20 de novembro.

 

Com gestão aberta à escuta da classe artística, a Secec considera a importância de ter um edital que espelhe, em sua potência, a força do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), que vem destacando a cultura de Brasília internacionalmente. Só nesta semana, três produções de audiovisual com copatrocínio do FAC foram laureadas em importantes festivais nacionais e internacionais: “Filhas de Lavadeiras”, de Edileuza de Souza (no “É Tudo Verdade”); “Pureza”, de Renato Barbieri (no Florianópolis Audiovisual do Mercosul/FAM); e “Eduardo e Mônica” (na “Mostra de Edmonton”, no Canadá), de René Sampaio.

 

Leia mais

Com fomento do FAC, três filmes são premiados em festivais nacionais e estrangeiros

Com copatrocínio do FAC, filme “Por que você não chora?” abre Festival de Gramado

Secec prorroga prazo do FAC Audiovisual 2018 e garante fomento para proponentes

 

“O Edital é resultado de um diálogo com todos os segmentos artísticos. Ele não é uma ideia preconcebida, sem base objetiva, nem nasce de um capricho pessoal. Reflete as muitas discussões e passa pela compreensão das dificuldades que o audiovisual vem enfrentando no Distrito Federal”, destaca o titular da pasta.

 

AÇÕES AFIRMATIVAS

Para além da inclusão da linha ‘Produção de longa-metragem’, o edital sofreu outras alterações importantes. A previsão de execução dos projetos, agora, passa a ser em até dois (2) anos, dobrando o prazo constante no chamamento anterior. Outra novidade é a vedação da utilização dos recursos em produção que contenha qualquer tipo de discriminação contra mulheres, público LGBTQI+, afrodescendentes, idosos e pessoas com deficiência.

 

O certame também facilitou o trâmite quanto à exigência do registro da obra na Fundação Biblioteca Nacional. Face à pandemia da Covid-19, que impossibilitou o regular atendimento ao cidadão pelo órgão federal, o novo edital aceita a solicitação do registro em lugar da comprovação, que deverá, contudo, ocorrer até o final da execução do projeto.

 

O chamamento público mantém conquistas importantes do edital anterior, como cotas para mulheres negras, indígenas e diretores estreantes, e ratifica seu forte compromisso com a descentralização e a democratização do acesso aos recursos disponibilizados, com a previsão, em grande parte dos segmentos, de atividades gratuitas à população, oficinas, ações formativas  e educativas para toda a sociedade.

 

A orientação de inclusão, nos projetos culturais, de formatos acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou com deficiência permanece, bem como a previsão de estruturas físicas que atendam a essa parcela da população. “Mais do que nunca, a acessibilidade, que já é obrigatória por lei, tornou-se um elemento de linguagem e inclusão, sobretudo nesse tempo de pandemia, quando as peças audiovisuais ganharam uma relevância crucial”, observa o subsecretário de Fomento e Incentivo Cultural, João Moro.

 

CONFIRA AS LINHAS DE APOIO ATUALIZADAS

Desenvolvimento de projeto/roteiro cinematográfico de longa-metragem, ou obra seriada.

Produção de obra cinematográfica com finalização – Módulo I (nova)

Produção de obra cinematográfica com finalização – Módulo II (nova)

Produção de webséries/webcanal.

Obra seriada ou telefilme.

Complementação / Finalização, com ou sem lançamento / Comercialização / Distribuição de longa-metragem (nova)

Mostras, festivais e eventos.

Apoio ao desenvolvimento do cineclubismo e manutenção de cineclubes.

Pesquisa cultural, técnica, artística e acadêmica.

Ações de capacitação/formação (oficinas, cursos, ações educativas ou de formação de

plateia, etc.).

Restauração/preservação de acervo.

Publicação (catálogos, periódicos, livros, revistas especializadas etc.).

Projeto livre.

Produção de jogos eletrônicos.

Produção de longa-metragem (nova)

 

COMO SE INSCREVER

As inscrições podem ser realizadas de 09 de outubro até as 18 horas do dia 20 de novembro de 2020,  por meio de sistema eletrônico (clique aqui). Os interessados devem encaminhar ficha de inscrição, planilha orçamentária, currículo e outros documentos especificados no edital. Acesse os modelos no site do FAC (clique aqui).

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Ascom/Secec)

E-mail: comunicacao@cultura.df.gov.br